Como esquecer um homem em 24 horas (também se aplica ao sexo oposto)

LÊ ESTE ARTIGO – não há ninguém inesquecível!!!

Esquecer alguém em 24 horas? É impossível. Só consegue esquecer alguém em 24 horas se for alguém que nunca tenha passado a sala de visitas do seu coração. Se tiver ido mais longe, temos pena, mas vai demorar mais.

Bem, a verdade é que é urgente fazer qualquer coisa o mais depressa possível. Mesmo que esteja desesperada e ache que a sua vida nunca mais vai voltar ao que era dantes e que o seu coração nunca mais se vai entregar a outro ser humano, não deixe que esse inútil lhe arruíne a vida. Há sempre medidas SOS que se podem tomar logo nas primeiras 24 horas a seguir à Catástrofe. Preparada?

1. Meter na cabeça que acabou mesmo. Isto é o mais difícil, porque a maioria das pessoas que dizem que querem esquecer alguém, mesmo as que juram que já acabou tudo porque ele é casado/infantilóide/retardado emocional, de facto ainda mantêm uma restiazinha de esperança que anula todo o trabalho de casa. Como esquecer alguém que não queremos de facto esquecer?

2. Minimizar qualquer contacto com ele. Isto parece óbvio mas nem sempre temos a coragem para o fazer, devido a alínea 1 mal resolvida. Se ele é seu colega de trabalho e não pode sugerir ao chefe que o despeça porque quem não é bom para uma trabalhadora também não é bom para a empresa (hehhe), olhe, trabalhe. Não aceite convites dele para cafezinhos, explicações ou ‘amizade’. Se quer amiguinhos, faça-se amiga do Sebastião Maria que lhe pediu amizade no Facebook e diz que gosta de Bach, Ricky Martin e caniches (deve ser gay, o que é bom, nesta altura do campeonato). Se o Zé Pedro lhe está sempre a cair na sua página de Facebook a mandar coraçõezinhos, galhetas e vídeos do You Tube, abandone durante o tempo necessário à cura. Aprenda a viver sem rede.

3. Fazer qualquer coisa física. Atenção que por qualquer coisa física não se entende saltar para o colo do Vasco Maria, o primo do Sebastião Maria, que lhe pediu amizade a reboque do primo e aparecia na foto de perfil com o Ricochete (o cavalo), à espera de comover o coração das meninas que gostam de animais (todas). Coisas delicadas como acabar o retrato da sua avozinha em ponto cruz ou terminar de bordar ‘Zé Pedro Adoro-te Bué’ na toalha que ele deixou lá em casa, também não funcionam. Vá ao attack, ao combat, vá correr no paredão (mas resista ao impulso para se atirar ao mar, a não ser que se queira iniciar na pesca submarina), faça qualquer coisa pesada e que a canse mesmo. Sue o Zé Pedro para fora do seu sistema. Garantimos que a partir da décima flexão o Zé Pedro vai ser a menor das suas preocupações.

4. Escrever um diário ou um blog: desabafe tudo o que lhe vai na alma. É verdade que também pode ficar acordada até às 5 da manhã a remoer tudo o que ele disse e principalmente o que não disse e a chamar-lhe os nomes todos, mas, ninguém sabe porquê, quando se passam as coisas para o papel fica tudo mais claro e além disso dorme-se melhor e não lhe dá a satisfação de a ver no dia seguinte com cara de quem saiu da ‘Família Addams 3’.

Vale a pena?

Então continua a ler em:
Ler mais: http://activa.sapo.pt/sexo/relacionamento/2013/04/03/como-esquecer-um-homem-em-24-horas#ixzz2QitKj2As

Pão de farinha de arroz

  • 08 colheres de sopa de farinha de arroz
  • 01 colher de sopa de linhaça moida
  • 01 colher de sopa de gerlelim moido (sésamo)
  • 01 colher de cha de sal
  • 01 colher de sopa de manteiga
  • 02 colheres de sopa de oleo
  • 01 ovo
  • 01 colher de sopa de leite
  • 01 pote de iogurte
  • 01 colher de sopa de fermento em pó

misturar todos os ingredientes e colocar em forma untada.
assar em fogo médio de 30 a 40 minutos

fonte: http://cybercook.terra.com.br/pao-de-farinha-de-arroz-rc-6-98787.html

Perca dinheiro já! 6 dicas para não lucrar com seus artigos!

Perca dinheiro já! 6 dicas para não lucrar com seus artigos! – Escola Dinheiro


Perca dinheiro já! 6 dicas para não lucrar com seus artigos!

Posted: 31 Jan 2013 08:02 AM PST

Escrever artigos para blogs é uma tarefa extremamente difícil e muitas vezes bastante dolorosa. No inicio, as idéias não saem de nossa cabeça e chegamos a ficar frustrados por não conseguir expô-las naquilo que seria uma espécie de diário pessoal. Ao mesmo tempo em que nosso cérebro parece que vai estourar, pela quantidade de informações que temos para passar, não conseguimos sequer escrever uma boa frase. Conforme o tempo vai passando, nos adaptamos à rotina e conseguimos, gradualmente, escrever mais e melhor.

Pode ser que o que eu vá dizer não faça nenhum sentido para você, mas chega um momento em que ter facilidade de escrever não significa muita coisa. Na verdade, depois de um ou dois anos, não sentimos tanto orgulho de escrevermos de forma clara e concisa. Isso porque nossa escrita traz muitos leitores e seguidores, mas não faz com que tenhamos algum retorno palpável.

Quando falo em retorno palpável me refiro a contatos, dinheiro e oportunidades. Se o seu objetivo como blogueiro é profissionalizar-se, tudo isso acaba sendo indispensável. Já imaginou virar um problogger e não ganhar dinheiro? Largar seu trabalho para blogar e não receber um centavo sequer? É praticamente inimaginável.

Pois bem, pensando em tudo isso que foi dito, sabemos que as principais ferramentas de um blogueiro são as palavras. De nada adiantar ter um blog que não segure o leitor por pelo menos 30 segundos. Em contrapartida, pensando no lado financeiro, de nada adianta ter um “leitor vampiro”, que fica bastante tempo no blog, suga o conteúdo e sai sem ao menos deixar um comentário ou clicar em algum link.

perder dinheiro

O leitor vampiro

Antes de continuar com o artigo, deixe-me explicar que todos nós somos “leitores vampiros”. Nossa intenção é sempre encontrar algo bom para ler e de graça, mas nunca estamos dispostos a tomar uma atitude. Raramente visitamos um blog pensando: “hoje vou ler um bom artigo e encontrar um anúncio para clicar”. Essa é uma atitude natural e cabe ao autor do artigo levar o leitor à ação.

A dificuldade em ganhar dinheiro com blogs

A grande maioria dos blogueiros têm dificuldade para ganhar dinheiro justamente porque alimenta os “vampiros da internet”. Simplesmente escrevem o que vêm a cabeça sem se preocupar com a forma como é feito. Isso resulta, muitas vezes, em artigos de extrema qualidade, mas que não ajudam na monetização do blog. Conheço várias pessoas que batem o pé e dizem que o leitor vem em primeiro lugar, o que é um tremendo engano. Em primeiro lugar vem o blogueiro, depois vem o leitor. Sem o blogueiro, não existe o blog.

O que há de errado em oferecer informação de qualidade e ainda persuadir o leitor a visitar uma página no Facebook, comprar um produto, fazer um cadastro ou clicar em algum link? Tudo isso pode ser feito sem tirar a qualidade de um artigo e sem torná-lo pago. Na verdade, essa é a melhor forma de ganhar um leitor que reconhece de verdade o trabalho de um blogueiro.

Depois dessa gigantesca introdução, acredito que você já percebeu o papel de um artigo no contexto da monetização. A partir daqui vou mostrar tudo o que ele pode oferecer, além de simplesmente entreter o leitor por alguns minutos. Serão 6 tópicos e 6 dicas sobre como você poderá perder dinheiro com seus artigos.

Artigos podem informar

O que as pessoas mais buscam na internet é informação de qualidade. Não importa se as imagens são ruins ou a navegação é péssima, no final das contas o que vale é o conteúdo. É claro que a usabilidade é importante, mas não em um nível mais profundo, quando os leitores já se habituaram ao site. Criando artigos que sejam informativos, acima de tudo, as chances de ganhar dinheiro são extremamente grandes. Dê ao leitor o que ele procura e ele fará o que você quer.

Dica 1 – Perca dinheiro escrevendo apenas o que você quer: escreva o que lhe vem à cabeça, pensando apenas em si mesmo sem analisar se as informações são realmente úteis para seus leitores.

Artigos podem persuadir

Passando informações úteis você terá um leitor fiel. Mas para ganhar dinheiro você precisa de um pouco mais do que isso. Você precisa persuadi-los através de palavras. A melhor dica para isso é: não seja imparcial. A imparcialidade funciona muito bem nos jornais, no rádio e na televisão, mas não na internet. Para influenciar alguém no meio online é preciso um toque pessoal. Troque experiências com o leitor. Diga que você já passou por isso ou aquilo. Faça-o sentir-se seguro sabendo que você também já teve aquela experiência.

Um exemplo claro são os sites de review de produtos. Normalmente esse tipo de site rende bastante dinheiro e reconhecimento porque o autor, além de testar o produto, dá sua opinião. Ele coloca de forma humana, em escrita ou em vídeo, o que acha de determinado produto e porque o leitor deve ou não comprá-lo. Quando o produto não é recomendado, ele não é comprado. Mas quando é, o autor é responsável pela venda de dezenas, centenas ou milhares de unidades. Isso é não ser imparcial.

Dica 2 – Perca dinheiro sendo totalmente imparcial: não estruture seu texto, nem tente convencer ninguém de que você merece ganhar algo por oferecer conteúdo grátis e de qualidade. Não dê sua opinião e evite mostrar que você é um ser humano. Acima de tudo, tente ser um robô e faça tudo o que todo mundo faz.

Artigos não servem apenas para gerar tráfego

Um artigo atinge e chama mais atenção de mais pessoas do que os anúncios comuns. É o artigo que o leitor busca ao longo do tempo e é nele que vai confiar, acima de qualquer outra propaganda. Podemos dizer que os artigos são o coração de um blog, não apenas pela quantidade de visitas que atraem, mas pelo poder que têm. Se ele for tratado apenas como mais uma forma de ganhar visitas, você não terá retorno algum e provavelmente as perderá ao longo do tempo. Mas se pensar em criá-los tanto para ganhar dinheiro quanto para satisfazer o leitor, terá ótimos resutados.

Dica 3 – Perca dinheiro com seus artigos geradores de visitas: trate seus artigos como uma forma de gerar visitas sem se preocupar com o seu leitor. Não importa se o artigo é útil, o que importa é ficar bem posicionado no Google.

Ebook Exercícios para blogueiros

Escreva artigos curtos e longos

Um artigo feito para ganhar dinheiro pode assumir diversas “caras”. Vai desde um simples texto de 300 palavras até um enorme emaranhado com mais de 3000 palavras. Não importa qual é o tamanho do artigo, o que interessa é que com cada um é possível lucrar.

Prepare um artigo longo para persuadir e distribua no decorrer dele várias evidências do seu ponto de vista. A cada subtítulo, separe links de outros artigos seus que falam de assuntos relacionados. Esses artigos devem ser ligeiramente menores e conter links para seus produtos, serviços ou afiliados. Essa é uma forma indireta de levar o leitor a uma ação. No artigo maior você mostra sua personalidade. Nos artigos menores você chama o leitor para seu negócio.

Nem todos os artigos devem ser longos para atender aos critérios, muitas vezes ignorantes, do Google. Artigos de 300 ou 400 palavras são excelentes para converter, desde que seja feito o que foi dito no parágrafo anterior. Imagine que em um artigo longo você citou a frase: “alguns blogueiros milionários famosos lucram menos do que blogueiros desconhecidos”. A palavra chave “blogueiros milionários” você pode linkar para um artigo onde fala da vida de um blogueiro de sucesso, em 300 ou 400 palavras. A idéia não é que esse artigo pequeno receba muitas visitas do Google, mas que o leitor que veio do artigo maior possa lê-lo rapidamente. Então, nesse artigo menor, você pode incluir uma citação dizendo que o blogueiro milionário utiliza a ferramenta X, o host Y, leu o livro Z ou participa do clube W. O leitor já terá conhecido seu trabalho e não se sentirá ofendido pela propaganda, quase imperceptível.

Muitas pessoas pensam: “mas o Google não vai começar a considerar meus artigos curtos como sendo de qualidade inferior?” Sim, desde que você permita que o Google os veja. Pense comigo. Se você sabe que o Google não irá posicionar bem um artigo curto, porque ele precisa ser visto? É melhor mantê-lo oculto do Google e utilizá-lo apenas para converter. Para isso, considere bloquear a leitura e indexação desse tipo de artigo da seguinte maneira:

1 – Pelo robots.txt

User-agent: *

Disallow: /url-do-primeiro-artigo-curto

Disallow: /url-do-segundo-artigo-curto

2 – Pela meta tag do HTML

<META NAME=”ROBOTS” CONTENT=”NOINDEX, FOLLOW”>

(a página não será indexada, mas os links que estão nela serão seguidos pelo robô)

Mais detalhes você pode conferir no artigo Gerindo o acesso dos Robots ao seu blog.

Dica 4 – Perca dinheiro seguindo os padrões do Google: escreva somente textos grandes para atender aos padrões de otimização de sites. Esqueça os textos menores porque, afinal, as pessoas adoram ficar 60 minutos lendo um texto com 10 mil palavras, não é verdade?!

Os parágrafos dos artigos

Quando você entra em um blog que ainda não conhece, como você enxerga os parágrafos? Não concorda que são vários blocos com diversas palavras uma ao lado e embaixo da outra? É assim que a maioria de nós vê os textos em um blog. Quanto menor é o bloco, menos cansativa é a leitura e maiores são as chances de persuasão. A cada troca de parágrafos a energia é brevemente renovada e o leitor vai em busca de algo novo no próximo bloco de texto. Se o parágrafo for muito grande, o leitor perderá rapidamente o interesse. Se o parágrafo foi muito pequeno, o leitor não conseguirá focar em suas idéias, pois estará constantemente caminhando entre os parágrafos.

Dica 5 – Perca dinheiro descuidando dos parágrafos: construa parágrafos pequenos para que seus leitores não prestem atenção à sua mensagem ou construa parágrafos tão grandes para que ele sinta vontade de parar de ler já na primeira frase.

Quando destacar uma parte do texto

Abraham Lincoln, 16º presidente dos Estados Unidos, era conhecido por ser um exímio orador. Em seus discursos as pessoas sentiam que estavam de frente a uma pessoa culta e um líder excepcional. Lincoln não tinha nada que chamasse atenção das pessoas a não ser uma grande barba e sua forma de falar. Sua barba era horrivelmente feia, portanto sua maior habilidade era falar. Mas, ainda mais do que falar, ele tinha o dom de intensificar palavras ou frases no momento certo. O que Lincoln fazia era passar rapidamente por suas frases até chegar a uma palavra de impacto, então ele dava uma pausa e falava com diferente entonação, velocidade e maior ênfase. Isso fazia com que as pessoas não prestassem atenção às demais frases, somente às intensificadas. Isso dava tão certo que Abraham Lincoln foi um dos maiores presidentes que os Estados Unidos já teve.

Imagine Lincoln era blogueiro, escrevia em cartolina e postava seus artigos nas paredes de sua cidade. Cara artigo era pequeno, com apenas um bloco de texto de no máximo 400 palavras. Ao olhar para ele, escrito sem nenhum destaque, você ficaria tentado a ler? O simples fato de ser um grande bloco tira a vontade da leitura (esse é o motivo pelo qual os jornais são formados de colunas). Agora, imagine que no mesmo texto de Lincoln você notasse a frase em negrito que fala: “eu matei 10 mil pessoas em 10 dias”. Você não se sentiria tentado a ler?

Essa é a idéia de destacar um texto a fim de persuadir. Você deve intensificar algumas palavras em meio a um texto sem nenhum destaque. Esse contraste faz com que o leitor sinta vontade de ler. Conseqüentemente, você terá sua chance de convertê-lo.

Dica 6 – Perca dinheiro evitando destacar seu texto: escreva textos inteiros sem se preocupar em chamar a atenção do leitor, pois ele tem a obrigação de saber que você deseja que ele leia todo o texto. Não destaque palavras e frases com negrito, pois isso é pecado e seu blog corre o risco de ser punido pelo Google.

Conclusão

Embora as dicas desse artigo tenham sido básicas, tentei passar uma visão que foge do padrão encontrado atualmente. Podemos ver muitas pessoas focadas em escrever artigos enormes, extremamente otimizados e muito informativos, mas que definitivamente não convertem nada. Tenho certeza, baseado em muita observação e vários testes, que essas 6 dicas simples podem lhe ajudar a converter mais. Basta se aprofundar no assunto e, acima de tudo, colocar em prática.

Abraços!

fonte http://www.escoladinheiro.com/2013/01/31/perca-dinheiro-ja-6-dicas-para-nao-lucrar-com-seus-artigos/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+fiquerico+%28Escola+Dinheiro%29

5 Obstáculos à felicidade

5 Obstáculos à felicidade e como superá-los

Posted: 01 Feb 2013 06:45 AM PST

A felicidade é um termo subjetivo. Felicidade pode significar coisas diferentes para pessoas diferentes. Mas há elementos comuns que se aplicam a todos nós, e que podem não estar devidamente explícitos para você. Deixe-me explicar. A maioria de nós acha que os obstáculos  à felicidade envolvem coisas como não ter dinheiro suficiente, estar num  relacionamento ruim, não ter sucesso, ou não sentir-se realizado. Seja qual for o caso, na ausência daquilo que não conseguimos obter ou alcançar, por vezes, justificamos a nossa infelicidade com coisas ou pessoas exteriores a nós. Ainda que alguns acontecimentos ou pessoas possam contribuir para a vivência de experiências menos boas, cada um de nós tem sempre em si mesmo a responsabilidade de tomar uma atitude. O caminho da felicidade ou infelicidade estabelece uma relação muito mais forte com a nossa reação aos acontecimentos, do que com aquilo que nos acontece. É óbvio que temos sempre de ser razoáveis na análise do impacto que determinados acontecimentos têm na vida de cada um de nós. Mas, ainda assim, mesmo nas situações mais catastróficas há sempre pessoas que conseguem erguer-se acima do seu sofrimento e encontrar um novo significado na vida e, consequentemente recuperar a sua felicidade.

Para você que pode estar a sentir a sua felicidade negativamente afetada e certamente pretende superar os seus dissabores, importa superar aquilo que se apresenta como obstáculos à sua felicidade. A boa notícia é, que existem algumas estratégias e esclarecimentos que podem funcionar como um enorme incentivo no resgate da sua felicidade.  São passos, dicas e formas de pensar que podem ser aplicadas no seu dia a dia, e que podem estar sobre o seu controle.

A seguir apresento alguns dos obstáculos mais comuns à felicidade e como superá-los:

FALTA DE AUTOVALORIZAÇÃO E AUTOACEITAÇÃO

Quando não valorizamos a nós mesmos, aquilo que possuímos, que sabemos fazer, e quando não sentimos apreço e estima pela pessoa que somos, afastamo-nos da criação de uma base sólida que possa edificar a construção da felicidade. Quando não aceitamos as nossas fraquezas, as nossas lutas, ou até mesmo as nossas dificuldades e incapacidades, colocamo-nos numa posição de desvantagem acerca de nós mesmos. Voltamo-nos contra nós mesmos, impedindo-nos de aceitar o estado ou situação que nos encontramos, dificultando as ações que poderiam solucionar os problemas e restituir o sentimento de bem estar e felicidade.

Quando não reconhecemos que somos os principais responsáveis pelas forma como encaramos o estado de infelicidade em que nos encontramos, não conseguimos ser capazes de reconhecer que somos igualmente os agentes da possível melhoria e que ela é possível e depende de nós.

Lição 1: Assuma a responsabilidade pela sua própria vida. Essa é a única maneira de recuperar a sua autoestima e controle sobre a mudança a implementar.  Verifique onde você está fazendo autosabotagem e pare com este tipo de comportamento. Comece a falar para si mesmo, e sobre si mesmo, em termos de autoresponsabilidade  e certamente vai  ver as circunstâncias da sua vida e você mesmo a mudar drasticamente para melhor.

Lição 2: Defina limites saudáveis acerca da sua responsabilidade sobre os acontecimentos de vida. Tente perceber que as atitudes negativas em nada melhoram o estado em que se encontra e que apesar de poderem existir pessoas e circunstâncias desfavoráveis, é a sua reação que mais impacto tem acerca da forma como você se sente na sua vida. Em seguida, faça escolhas sobre quem você quer ser na sua vida, tal como expliquei no artigo: Que tipo de pessoa você quer ser? Quais são as relações que são importantes para você? Quais são tóxicas? Tome as suas decisões com amor e compaixão e tente entender que isso não significa que você tem de se sentir diminuído ou subjugado. Quando nos beneficiamos e nos elevamos a nós mesmos todos saem beneficiados, começando por você.

tristeza

FALTA DE CONFIANÇA E PROCURA DE APROVAÇÃO

Quando você procura a aprovação dos outros para viver a sua vida, você pode acabar correndo atrás de algo que não esteja de acordo com aquilo que lhe é significativo e o faz vibrar. Você permite que outros ditem o quão feliz você está  com base na aprovação ou não de quem você é ou o que está fazendo. Certamente, haverá sempre alguém que discorda de você ou não entende as suas escolhas, e se você vive a sua vida tentando fazer com que todos o aprovem, estará perdendo muito da sua energia pessoal. Isso, então, esgota a sua reserva de ímpeto para realizar coisas que o encaminhem rumo a uma felicidade sustentada por você. Esforce-se por desenvolver a autoconfiança, e melhore a  autoestima de forma a que não tenha de ficar drasticamente agarrado à opinião de alguém. Então, viva a sua vida como você melhor se sente, sem desculpas e sem ter que se defender ou justificar-se a alguém. Aqueles que realmente importa na sua vida certamente irão apoiá-lo de qualquer maneira, porque eles amam-no por aquilo que você é.

Lição 1: Desenvolva a sua confiança interior. Embora às vezes isso pareça mais fácil dizer do que fazer. É possível se você decidir que é aquilo você quer fazer. O primeiro passo para a confiança é a aceitação. Então, aceitar-se e aceitar o seu momento menos bom é primordial na sua recuperação. Você está exatamente onde eventualmente precisa estar para encaminhar-se no sentido de desenvolver-se em termos pessoais. Não descarte o seu valor e não se compare com os outros. Todos nós temos o nosso próprio caminho na vida, às vezes eles se cruzam, e às vezes não, mas de qualquer forma, cada um de nós somos valiosos da forma como somos, ainda que possamos mudar para melhor de acordo com os nosso objetivos. Pondere ler: 3 passos e 10 formas para construir a sua autoconfiança.

Lição 2: Faça as suas próprias escolhas. Conheça as suas motivações e faça o seu melhor para garantir que as suas escolhas são próativas, construtivas e alinhados com os seus verdadeiros desejos (e não os desejos do seu ego ou dos outros). Então, você vai construir a confiança necessária para seguir com essas escolhas. Acresce ainda o fato da sua confiança aumentada permitir enfrentar alguns dos seus medos, porque você vai perceber que quando as suas escolhas estão enraizadas na sua paixão e no seu verdadeiro querer, na verdade não existem fracassos, erros ou más escolhas, mas sim oportunidades de aprendizagem e crescimento. Sugiro que  pare de questionar a si mesmo e comece a tomar medidas para a sua melhoria de vida, agora mesmo.

infelicidade 

FALTA DE ÍMPETO PRÓPRIO, SEGUINDO OS CAPRICHOS DO EGO

Quando você não tem a noção clara do caminho que quer percorrer ou não constrói os seus próprios motivos, pode ficar à mercê daquilo que os outros e a sociedade lhe transmitem. Corre o risco de movimentar-se por uma competitividade desmedida, pretendo obter mais do que os outros têm, ou comparar-se em demasia com a vida dos outros.  Quando você corre atrás de sonhos que são baseados em lacunas percebidas a coisas externas a você, como coisas materiais ou até mesmo relacionamentos, então você está procurando a felicidade no lugar errado. Não são as coisas ou as pessoas que mais contribuem para a felicidade, é sempre a motivação e as intenções por trás das nossos desejos que mais importam. Encontre a base da sua felicidade interior e todos os fatores externos poderão ser benéficos se funcionarem  como um reforço para a sua vida, ao invés de você depender deles para a sua plena felicidade.

Lição 1: Saber o que quer e porquê. Distinga os seus desejos autênticos dos não autênticos. Para fazer isso você  precisa prestar atenção aquilo que sente acerca dos seus desejos. O que você está sentido é uma falta que precisa preencher, uma espécie de desespero? Ou você está a sentir-se tranquilo e animado para manifestar o que sabe que quer e dentro de suas capacidades de conseguir fazer, ser e ter? Os seus motivos e intenções são o que determinam o curso de ação das suas experiências de vida? Se você conseguir descobrir “o que” e depois o “porquê”, você vai desenvolver um enorme ímpeto que o colocará numa posição vantajosa para viver e tornar reais os sonhos que idealiza  E a melhor parte é que você vai estar fazendo isso a partir de um estado de alegria e confiança interna, em vez de um estado de tensão e incerteza.

Lição 2: Muitas vezes a infelicidade resulta de sentimentos de “não ter o suficiente.”  Quando você sente algumas faltas na sua vida às quais dá uma extrema importância e significado, pode fazer com que  se sinta deprimido e solitário. Mas você pode mudar isso, adotando uma atitude positiva. No entanto, isso não significa fingir ser algo ou alguém que não é. Tudo isso significa que você se está tornando mais sensível e atento acerca daquilo que já tem na sua vida. Quando você está apreciando, significa que você não está desvalorizando. Portanto, não importa o quão pequeno possa ser aquilo que você contempla, encontrar algo para ser grato no momento, e construir o seu caminho sedimentado nesse sentimento permitir-lhe-á ver o mundo como um lugar próspero.

FALTA DE UM PROPÓSITO MAIOR, OBJETIVOS E VISÕES MAIS GRANDIOSAS

Quando você não traça um propósito bem definido pode perder, sendo muito mais fácil deixar levar-se pelos caminhos do ego que podem conduzi-lo à infelicidade. É por isso que é tão importante  descobrir o que mexe consigo, o que o impulsiona, o que o apaixona, e qual o propósitoem que você está direcionado e focado. Descubra aquilo que é significativo para você, invista nas ações e atividades que no seu retorno o fazem sentir-se bem, com um senso de felicidade. Pondere ler: Clarifique a sua visão de sucesso.

Lição 1: Faça perguntas capacitadoras. A fim de encontrar o seu propósito, o que acabará por lhe trazer imensa alegria e satisfação, pergunte a si mesmo questões do género: “O que me motiva na minha vida? Porque coisas eu sou apaixonado? Quais as qualidades que eu tenho que podem ser valorizadas e compartilhadas com o mundo? No que eu sou excecionalmente bom? Que tipo de pessoa quero eu ser? O  legado quero deixar? “

Lição 2: Funda-se ao seu propósito. Lembre-se que o seu propósito é algo que beneficia do seu total envolvimento. Não tem apenas a ver com a sua vocação. Olhe para as suas paixões e desejos mais verdadeiros e lá você vai encontrar o seu propósito.

 

Ebook – Como Mudar Sua Vida para Melhor

 

FALTA DE PRIORIDADES E ENERGIA DISPERSA

É importante definir o que a felicidade significa para você, pessoalmente, e depois priorizar as coisas, pessoas e atividades que mais significado têm para você. Em seguida, dê tempo para que as coisas possam surtir efeito. É uma questão de equilíbrio e de delegação, quando necessário. Trata-se de encontrar a sua força interior, o que lhe dá a energia e motivação para tudo que você pretende realizar na vida.

Lição 1: O que é importante para você? Se você retirar as distrações da sua vida por um momento, o que resta?  Descubra o que é mais importante para você e, em seguida, certifique-se de fazer disso uma prioridade em sua vida. Pondere ler: Construa  a base do seu poder.

Lição 2: Compreender que ser equilibrado na sua vida é extremamente importante para a sua felicidade e bem estar. Isso não significa que às vezes algumas coisas não irão ser alvo da sua atenção mais do que outras. Significa simplesmente que se você olhar para cada ano ou até mesmo a cada mês da sua vida, por exemplo, que você vai ser capaz de dizer que deu a cada área da sua vida a devida atenção. Isso significa que você percebe que a vida não é um lugar onde obtém tudo o que deseja, mas sim, que terá tanto mais sucesso quando mais investir nas vária áreas da sua vida que contribuem para a sua felicidade e realização pessoal. Assim, aprender a priorizar permitirá menos arrependimentos acerca daquilo que desejava ter feito e não deu a devida atenção. Faça com que a sua vida seja preenchida com o seu propósito, energia e motivação, fazendo com que cada momento conte, e você fertilizará o terreno para a felicidade. Pondere ler: Felicidade, construa o seu suporte.

CONCLUINDO

Nem sempre os obstáculos à nossa felicidade são facilmente percetíveis. Estes cinco obstáculos estão fortemente relacionados com a forma como interpretamos as nossas prioridades de vida, o significado que damos ao que fazemos e à interpretação daquilo que nos acontece. Se você pretende realmente construir uma felicidade e bem estar sustentado, torna-se premente abordar estas questões de uma forma ou de outra. Mas a escolha é sempre sua, e essa é a parte mais capacitadora.

Abraço

 

fonte: http://www.escolapsicologia.com/5-obstaculos-a-felicidade-e-como-supera-los/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+escolapsicologia+%28Escola+Psicologia%29

LISTA PARA 2015

Pediram-me para fazer uma lista para 2015. Cá vai:

  • vou publicar mais artigos;
  • vou acabar de escrever o meu romance e publicá-lo;
  • vou visitar os familiares mais vezes;
  • vou passear mais vezes com os cães;
  • vou ser mais sociável;
  • publicar um ebook;
  • vou montar a casota com alpendre do cão;
  • vou pintar os muros do meu quintal;
  • vou ter mais pensamentos positivos;
  • vou nadar mais;
  • vou relaxar mais;
  • vou poupar um pouco:
    • mais agasalhos e menos aquecimento central;
    • andar mais a pé – pelo menos quando for visitar o vizinho do lado;
    • tomar banho uma vez por mês (já começo a disparatar, quero dizer, encurtar os banhos)
    • comer menos bifes e mais frango;
    • não deixar a minha horta secar;
    • verificar a pressão dos pneus;
    • dar menos comida aos animais gordos;
    • criar galinhas;
    • criar gatos persa;
    • menos detergentes;
    • aproveitar melhor a luz do dia e o calor do sol;
    • procurar roupas desaparecidas para evitar comprar novas;
    • oferecer cromos aos amigos em vez de berloques de prata;
    • requisitar livros na biblioteca;
    • negociar com o médico para reduzir medicamentos;
    • comprar genéricos e marcas brancas;
    • fazer os meus acessórios de tricot;
    • fazer bonequinhas de fuxico para vender;
    • dar explicações – NÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOO;
    • vender coisas que já não preciso;
    • alugar quartos na casa vazia, já que não se vende;
    • tomar conta de crianças ao fim de semana;
    • vender produtos oriflame (contatem comigo se quiserem ser assessores);
  • aceito sugestões!

mails da assembleia da republica

Aproximam-se eleições: falem com os deputados, sugiram soluções:

DEPUTADOS DA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO (Comissao.8A-CECCXII@ar.parlamento.pt)

Efectivos

Do Partido Social Democrata (PSD) –  (gp_psd@psd.parlamento.pt)

Nilza de Sena – Vice-Presidente

Amadeu Soares Albergaria

Ana Sofia Bettencourt

Duarte Marques

Emídio Guerreiro

Isilda Aguincha

Margarida Almeida

Maria Conceição Pereira

Maria José Castelo Branco

Paulo Cavaleiro

Pedro Pimpão

Do Partido Socialista (PS)  (gp_ps@ps.parlamento.pt)

Acácio Pinto – Vice-Presidente

Carlos Enes

Inês de Medeiros

Odete João

Pedro Delgado Alves

Rui Jorge Santos

Rui Pedro Duarte

Do Centro Democrático Social (CDS)  (gp_pp@pp.parlamento.pt)

José Ribeiro e Castro –  Presidente

Michael Seufert

Do Partido Comunista Português (PCP) –  (gp_pcp@pcp.parlamento.pt)

Miguel Tiago

Do Bloco de Esquerda (BE)  (bloco.esquerda@be.parlamento.pt)

Ana Drago

Do Partido Ecologista Os Verdes (PEV)  (PEV.Correio@pev.parlamento.pt)

Heloísa Apolónia


Suplentes:

Do PSD – gp_psd@psd.parlamento.pt

Ana Oliveira

Cristóvão Simão Ribeiro

Emília Santos

João Prata

José Manuel Canavarro

Maria Ester Vargas

Maria João Ávila

Maria Manuela Tender

Nuno Encarnação

Pedro Alves

Rosa Arezes

 

Do PS – gp_ps@ps.parlamento.pt

Ana Catarina Mendonça Mendes

Carlos Zorrinho

Elza Pais

Jacinto Serrão

Laurentino Dias

Maria Gabriela Canavilhas

Miguel Coelho

Do CDS – gp_pp@pp.parlamento.pt

Inês Teotónio Pereira 

Isabel Galriça Neto

Do PCP – gp_pcp@pcp.parlamento.pt

Rita Rato          

Do BE – bloco.esquerda@be.parlamento.pt

Catarina Martins

Do PEV  PEV.Correio@pev.parlamento.pt

José Luís Ferreira

 

fonte: SPRC